bateria e prática de bandas

Realcino Lima Filho, Nenê, nasceu em Porto Alegre. O músico autodidata é reconhecido como um dos maiores bateristas do Brasil. Toca piano e compõe desde os 20 anos.

Fez parte de alguns dos mais importantes grupos da música Brasileira, apresentando-se em Festivais de Jazz, Teatros e Jazz Clubs – no Brasil e no mundo – ao lado de músicos como: Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, Steve Lacy Quartet, Orquestra de Jazz da Dinamarca, Stan Getz, Paulo Moura, Quarteto Novo, Trio a Pampa e Pau Brasil. Acompanhou cantores de destaque, tais como: Milton Nascimento, Elis Regina, Gal Costa, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Claude Nougaro (cantor e compositor francês) Dick Farney e Ângela Maria, entre outros. Possui um trabalho de piano e voz com a excelente cantora Zezé Freitas.

Viveu e se apresentou na França por 12 anos. Apresentou o seu método “Ritmos do Brasil” (Brazilian Rhythms by Nenê) em workshops na Dinamarca, França, Alemanha, Suíça e Brasil. Músico criativo, utilizou-se de elementos polirítmicos para renovar e adaptar alguns dos tradicionais ritmos Brasileiros. A sua importância na Música Instrumental Brasileira do séc. XX e XXI se dá através desta mudança no conceito dos ritmos e, da construção de composições com melodias e harmonias mais sofisticadas, resultado de seus estudos como pianista.

Desde 2001 apresenta-se com o seu próprio trio, do qual também fazem parte os músicos: Alberto Luccas (contrabaixo) e Irio Júnior (Piano). A convivência com estes jovens músicos é fundamental para o experiente músico, que mantém ensaios regulares, produzindo uma música de alta qualidade e ótima receptividade. O repertório do Nenê Trio é sempre autoral.

Em 2004 fez parte da quarta caravana do Projeto Pixinguinha, apresentando-se em Campinas, Palmas, Campo Grande, Porto Velho, Rio Branco e Paris (França).

O Nenê trio fez diversas apresentações de lançamento do cd Ogã, entre os anos de 2005 e 2006, em unidades da Rede SESC, como o Instrumental SESC Brasil. No ano de 2006 participou do Festival de Jazz de Itajaí e do I Amazonas Jazz Festival. Em 2007 o trio  fez  apresentações de muito sucesso como no Museu da Casa Brasileira  e no Sesc Paulista.

Em breve o trio iniciará a turnê nacional “Nenê Trio – A música Brasileira do Séc. XXI”.
Discografia: Bugre (1983 – Media Sept) – considerado um dos dez melhores do ano, pela revista francesa Jazz Hot; Ponto dos Músicos (1984 – DAM); Minuano (1985 – Continental), Suíte Curral D’el Rey (1997) Indicado ao Grammy, na categoria Best Latin Album, Trio a Pampa (1997), Porto dos Casais (1998 – Núcleo Contemporâneo), Caminho Novo (2002) e Ogã (2005 – MixHouse). Os discos Minuano e Bugre foram relançados, em cd, no ano de 2006, pela gravadora Editio Princeps e o disco Porto dos Casais, foi relançado pelo selo Maritaca, em 2005. Sudeste (2007). Mudando de Rumo – CD virtual (2008). Outono ( 2009)

Método: Brazilian Rythms by Nenê (1988 – Zurfluh/Paris), Ritmos do Brasil (Editora Trama) e A Bateria Brasileira no Século XXI ( Independente).
Festivais: La Défense Jazz Festival, Festival de Jazz Latino Americano (Rússia), Festival d’Amiens, Grenoble Jazz Festival, Jazz sous les Pommiers, Jazz à Vienne, Jazz à la Villete, Nancy Jazz Pulsation, Nice Jazz Festival, Orleans Jazz Festival, Paris Jazz Festival, Rencontres Internationales De Jazz de Nevers, International Istambul Jazz Festival, Internationales Jazzfestivals Münster, Jazz Fest Berlim, Jazz Fest Wien, Festival Internacional à Liège, London Jazz Festival, Mont Fuji Jazz, Tokio Jazz Festival, Festival de Jazz de Guimarães, Montreaux Jazz Festival, Imigractions Festival, etc.

www.nene.art.br