A Fundação Cultural Latin GRAMMY foi instituída pela Academia Latina da Gravação TM para promover a consciência e a valorização internacional das contribuições significativas da música latina e de seus criadores para a cultura mundial e para proteger seu rico patrimônio e legado musical. O principal foco beneficente da Fundação é fornecer bolsas de estudos para estudantes de música latina com necessidades financeiras, bem como conceder subvenções a estudiosos e organizações em todo o mundo para a pesquisa e preservação dos variados gêneros de música latina. Apoie nossa missão fazendo hoje uma doação em nossa página no Facebook. Para obter informações adicionais, visite o site da Fundação Latin GRAMMY www.latingrammyculturalfoundation.com.

 

Ganhadores da Bolsa de Estudos Grammy 2020:

ALVARO HUANCAHUARI

Nascido em Lima, Peru, em uma família numerosa onde o gosto pela música tradicional do Peru e da América Latina, sempre esteve presente. Embora tenha aprendido a tocar flauta e percussão no Ensino Fundamental  foi após os 18 anos de idade, que começou a estudar música mais seriamente na escola Jazz Jaus, e com professores particulares. À partir desse momento, a música tornou-se muito importante em sua vida, tendo o jazz e suas vertentes como foco em sua formação. Embora não tenha tido muitos recursos para uma boa educação musical, sempre teve curiosidade e vontade de procurar informações para se aperfeiçoar, e assistia aos workshops, master classes e concertos de grandes músicos. Teve a sorte de ter aulas e trocar informações com grandes músicos, tais como George Garzone, Sherman Irby, Ted Nash, Duncan Haynes, Danilo Perez, Cesar Lopez, Ricardo Cavalli, Humberto Amesquita, Jorge Roeder, Jason Hainsworth, Andy Hunter, Ruben Caban entre outros.

Em 2016 foi aceito na University of  North Texas, com bolsa de estudos da Fundação Cultural Latin Grammy. Em 2017, graças à uma bolsa de estudos, ingressou na prestigiada McNally Smith School of Music. Posteriormente, mudou-se para o Brasil onde, com auxílio da Fundação Cultural Latin Grammy, cursa o segundo ano de Bacharelado em Música na Faculdade Souza Lima sob orientação de Vitor Alcântara e Rodrigo Ursaia. “Estudar no Souza Lima é uma grande honra para mim, já que é umas das melhores escolas de música da América Latina. É também a realização de um sonho que sempre tive: fazer bacharelado em música em uma escola de alto nível. Cada vez fico mais apaixonado pela música, especialmente nossa música latino-americana. Não tenho dúvidas de que seja qual seja meu futuro, a Faculdade Souza Lima vai ser um fator muito importante em meu desenvolvimento como músico”.

ESTEFANE SANTOS

Estefane Santos, musicista, trompetista. iniciou os seus estudos em música aos 13 anos no projeto social “SECRETARIA DE EDUCAÇÃO” na cidade de  Guarulhos. Estudou após esse período trompete popular na instituição “Emesp Tom Jobim – SP”, onde estuda atualmente com o Professor Daniel D’Alcântara. Participou de festivais importantes de música pelo Brasil ao longo
de sua jornada musical como: Jazz Trumpet Festival Brasil – SP, tendo aulas com grandes trompetistas da história do jazz como: Byron Stripling, Thomas Gansch, Jon Faddis, Adam Rappa, Bob
Sheew, e o Festival Jazz na Fábrica.

Em 2018 ingressou no curso de bacharelado em música na instituição “Faculdade Souza Lima” onde foi contemplada com a bolsa “Latin GRAMMY Cultural Foundation”.

Já gravou com músicos de renome no cenário da música brasileira como “Daniel D’Alcântara”, e o grande saxofonista norte americano,Ted Nash entre outros. Em 2019 pela segunda vez foi contemplada com a bolsa “Latin GRAMMY Cultural Foundation”. Também em 2019, participou do programa Tucca, tocando na Sala São Paulo ao lado de Anat Cohen com a Big Band Jazzmins.
Membro dos grupos: Orquestra Jovem Tom Jobim e Jazzmins Big Band e trompetista da cantora Luedji Luna.

HERBERT LUCAS

Herbert Lucas, músico saxofonista tenor, alto e soprano/flautista e compositor, atualmente com 26 anos de idade se identifica como um pesquisador da música popular e improvisada através do seu instrumento. Formado em música pelo curso técnico da Escola do Auditório Ibirapuera, desenvolvendo o estudo da música erudita e brasileira com os músicos Nailor Proveta e Douglas Braga.
Estudou também na EMESP Tom Jobim, onde foi integrante da Orquestra Jovem Tom Jobim  por três anos seguidos,  gravando o segundo CD da orquestra:  “visita a Moacir Santos” com grandes
nomes do cenário nacional e internacional jazzístico como o saxofonista “Ted Nesh”  e o trompetista “Daniel D’Alcântara”. Sempre atuando com ênfase no cenário instrumental, mais especificamente em big bands, foi a New York com a “Big Band Tom Jobim” na “Julliard Of School Music” tocando e aprendendo com grandes músicos Jazzistas americanos.

Foi ganhador do prêmio “Talentos do Jazz Do Festival Savassi “ BH, em 2015 com o grupo “Mana Quinteto”. Foi premiado por 3 anos seguidos com a bolsa “Talentos” da fundação “Latim GRAMMY” de Miami – USA.

Hoje cursa o curso de bacharelado em música na Faculdade Souza Lima no 6º semestre com aulas do saxofonista Vitor Alcântara. É integrante da Big Band Souza Lima sob direção dos músicos Daniel D’Alcântara e Jorge Neto. Como solista, desenvolve seu trabalho composicional como exemplo sua música: “África Five”.

RAFAEL BECK

Prestes a completar 18 anos, porém com farta vivência na arte musical.  Ainda muito menino, com apenas oito anos, já se apresentou com o grande músico, acordeonista, compositor e cantor Dominguinhos no Festival de Inverno de Atibaia. Em Fevereiro de 2012, então com doze anos, foi considerado pelo compositor Ivan Lins, um fenômeno da flauta, que o convidou para uma participação em um show que faria no Sesc Santo Amaro em São Paulo. Levou o grande Ivan ao choro e muita emoção à platéia que o aplaudiu de pé por vários minutos! Flautista de técnica apurada, instrumento que toca desde os seis anos, tendo início com flauta doce e aos nove expandindo para a flauta transversal e o píccolo. Passeia com muita desenvoltura por praticamente todas as linguagens musicais brasileiras, como o Choro, Samba, Bossa Nova, MPB, Ritmos nordestinos, além da música erudita, que estudou por seis anos na Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP -TOM JOBIM.

Em 2018, através de uma bolsa de estudos oferecida pela Emesp, embarcou para a Holanda, para um curso no Conservatorium de Amsterdam, onde por três meses, desenvolveu um importante
aprendizado do Jazz. Paralelo ao trabalho de Flautista, é também um exímio pianista, com um extenso repertório, nacional e internacional, podendo desenvolver tanto um trabalho solo, ou em trio, com Contra-Baixo e Bateria.

Além do trabalho individual como pianista, Rafael Beck, tem um DUO de flauta e violão com o violonista Rafael Schimidt. No ano de 2019, fez uma participação no show de Hermeto Pascoal
no Blue Note Sp. No mesmo ano de 2019,  iniciou estudos na Faculdade de Música Souza Lima em São Paulo, onde vai poder aprimorar seus estudos de Jazz e música brasileira.

DANIEL TENES DE OLIVEIRA

Aos quatro meses de idade, Daniel já parecia saber do que gostava, assistia shows na maior parte do tempo que estava acordado. Aos oito meses de idade, pegava as baquetas da forma correta (com as pontas para cima) e com um ano de idade ganhou sua primeira bateria, desde então seu interesse foi aumentando a cada dia. Aos 2 anos de idade, apresentou-se acompanhado do seu pai (Quinzinho Oliveira – trompetista) para uma platéia de 2000 pessoas, a partir desse evento, foi chamado para apresentar-se em várias emissoras da televisão brasileira.

Começou efetivamente os estudos de bateria aos 4 anos de idade, na Free Music Escola Livre de Música, escola de seus pais. Ao completar 5 anos fez sua primeira gravação em estúdio, gravou uma música composta por seu pai, no Cd Vitoria (intitulada Vitoria). Aos 11 anos de idade, entrou para EMESP (Escola Municipal do Estado de São Paulo Tom Jobin), passando em primeiro lugar em uma concorrência de 400 inscritos, teve aula com o professor José Carlos (Baterista e percussionista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo).

Desde 13 anos, estuda com a professora Lilian Carmona (importante baterista do cenário brasileiro), professora conceituada, formada pela Berklee College of Music. Em 2015 ingressou seus estudos no Conservatório Souza Lima , fazendo aulas praticas, teóricas e práticas de conjunto.

Trabalhos:
. Gravou o Cd Expressão com seu pai Quinzinho Oliveira;
. Gravou o Cd e DVD Caminhos (MPB) de Vitoria Silvestre, uma produção de Quinzinho Oliveira;
. Atualmente faz parte de uma banda de música instrumental, juntamente com seu pai Quinzinho Oliveira e seu irmão Gustavo Tenes de Oliveira, apresentam-se em shows e bares de SãoPaulo, entre eles o Jazzb, bar que tem um importante papel no cenário do Jazz Brasileiro;
. Professor de bateria na Free Music Escola Livre de Musica.

ARTHUR DE SOUZA LIMA SCARPINI

Mineiro de Ipatinga, Arthur nasceu em uma família musical e despertou seu interesse pelos sons desde pequeno quando acompanhava com olhos atentos as horas de estudo do seu tio na bateria.
Aos 8 anos, interessado pela guitarra e fascinado com os grandes virtuoses, começou a dar seus primeiros passos no instrumento. Aos 10 já ia a todos os shows em que seu tio se apresentava junto a banda “Osama Trio”, um grupo local que misturava o som potente do rock n’ roll com a levada sincopada dos sambas brasileiros, em todas as oportunidades Arthur fazia questão de dar uma canja e mostrar um pouco do que estava aprendendo.
‌Aos 14 conheceu o violão de 7 cordas, de imediato se apaixonou completamente por aquela linguagem e então decidiu dedicar-se a ela, depois de 3 anos se mudou para São Paulo ao ingressar em um curso de música no conservatório EMESP Tom Jobim, onde vem evoluindo sua técnica e aprimorando sua musicalidade com grandes Mestres como Gian Correa, Jarbas Barbosa, Marcus Teixeira e Paola Picherzky.
‌Durante esse período já teve a oportunidade de se apresentar ao lado de grandes nomes da música como o violonista Alessandro Penezzi, Luizinho 7 cordas, Elizeu Gomes, Grupo Choro do Vale entre outros.
‌No início de 2020, Arthur ingressou na faculdade Souza Lima, dando assim início a sua formação acadêmica como músico, onde já de início foi premiado com uma bolsa de estudos oferecida pela instituição Latin Grammy Cultural Foundation.

Ganhadores da Bolsa de Estudos Grammy 2019:

ALVARO HUANCAHUARI

Nascido em Lima, Peru, em uma família numerosa onde o gosto pela música tradicional do Peru e da América Latina, sempre esteve presente. Embora tenha aprendido a tocar flauta e percussão no Ensino Fundamental  foi após os 18 anos de idade, que começou a estudar música mais seriamente na escola Jazz Jaus, e com professores particulares. À partir desse momento, a música tornou-se muito importante em sua vida, tendo o jazz e suas vertentes como foco em sua formação. Embora não tenha tido muitos recursos para uma boa educação musical, sempre teve curiosidade e vontade de procurar informações para se aperfeiçoar, e assistia aos workshops, master classes e concertos de grandes músicos. Teve a sorte de ter aulas e trocar informações com grandes músicos, tais como George Garzone, Sherman Irby, Ted Nash, Duncan Haynes, Danilo Perez, Cesar Lopez, Ricardo Cavalli, Humberto Amesquita, Jorge Roeder, Jason Hainsworth, Andy Hunter, Ruben Caban entre outros.

Em 2016 foi aceito na University of  North Texas, com bolsa de estudos da Fundação Cultural Latin Grammy. Em 2017, graças à uma bolsa de estudos, ingressou na prestigiada McNally Smith School of Music. Posteriormente, mudou-se para o Brasil onde, com auxílio da Fundação Cultural Latin Grammy, cursa o segundo ano de Bacharelado em Música na Faculdade Souza Lima sob orientação de Vitor Alcântara e Rodrigo Ursaia. “Estudar no Souza Lima é uma grande honra para mim, já que é umas das melhores escolas de música da América Latina. É também a realização de um sonho que sempre tive: fazer bacharelado em música em uma escola de alto nível. Cada vez fico mais apaixonado pela música, especialmente nossa música latino-americana. Não tenho dúvidas de que seja qual seja meu futuro, a Faculdade Souza Lima vai ser um fator muito importante em meu desenvolvimento como músico”.

ESTEFANE SANTOS

Estefane Santos, musicista, trompetista. iniciou os seus estudos em música aos 13 anos no projeto social “SECRETARIA DE EDUCAÇÃO” na cidade de  Guarulhos. Estudou após esse período trompete popular na instituição “Emesp Tom Jobim – SP”, onde estuda atualmente com o Professor Daniel D’Alcântara. Participou de festivais importantes de música pelo Brasil ao longo
de sua jornada musical como: Jazz Trumpet Festival Brasil – SP, tendo aulas com grandes trompetistas da história do jazz como: Byron Stripling, Thomas Gansch, Jon Faddis, Adam Rappa, Bob
Sheew, e o Festival Jazz na Fábrica.

Em 2018 ingressou no curso de bacharelado em música na instituição “Faculdade Souza Lima” onde foi contemplada com a bolsa “Latin GRAMMY Cultural Foundation”.

Já gravou com músicos de renome no cenário da música brasileira como “Daniel D’Alcântara”, e o grande saxofonista norte americano,Ted Nash entre outros. Em 2019 pela segunda vez foi contemplada com a bolsa “Latin GRAMMY Cultural Foundation”. Também em 2019, participou do programa Tucca, tocando na Sala São Paulo ao lado de Anat Cohen com a Big Band Jazzmins.
Membro dos grupos: Orquestra Jovem Tom Jobim e Jazzmins Big Band e trompetista da cantora Luedji Luna.

HERBERT LUCAS

Herbert Lucas, músico saxofonista tenor, alto e soprano/flautista e compositor, atualmente com 26 anos de idade se identifica como um pesquisador da música popular e improvisada através do seu instrumento. Formado em música pelo curso técnico da Escola do Auditório Ibirapuera, desenvolvendo o estudo da música erudita e brasileira com os músicos Nailor Proveta e Douglas Braga.
Estudou também na EMESP Tom Jobim, onde foi integrante da Orquestra Jovem Tom Jobim  por três anos seguidos,  gravando o segundo CD da orquestra:  “visita a Moacir Santos” com grandes
nomes do cenário nacional e internacional jazzístico como o saxofonista “Ted Nesh”  e o trompetista “Daniel D’Alcântara”. Sempre atuando com ênfase no cenário instrumental, mais especificamente em big bands, foi a New York com a “Big Band Tom Jobim” na “Julliard Of School Music” tocando e aprendendo com grandes músicos Jazzistas americanos.

Foi ganhador do prêmio “Talentos do Jazz Do Festival Savassi “ BH, em 2015 com o grupo “Mana Quinteto”. Foi premiado por 3 anos seguidos com a bolsa “Talentos” da fundação “Latim GRAMMY” de Miami – USA.

Hoje cursa o curso de bacharelado em música na Faculdade Souza Lima no 6º semestre com aulas do saxofonista Vitor Alcântara. É integrante da Big Band Souza Lima sob direção dos músicos Daniel D’Alcântara e Jorge Neto. Como solista, desenvolve seu trabalho composicional como exemplo sua música: “África Five”.

RAFAEL BECK

Prestes a completar 18 anos, porém com farta vivência na arte musical.  Ainda muito menino, com apenas oito anos, já se apresentou com o grande músico, acordeonista, compositor e cantor Dominguinhos no Festival de Inverno de Atibaia. Em Fevereiro de 2012, então com doze anos, foi considerado pelo compositor Ivan Lins, um fenômeno da flauta, que o convidou para uma participação em um show que faria no Sesc Santo Amaro em São Paulo. Levou o grande Ivan ao choro e muita emoção à platéia que o aplaudiu de pé por vários minutos! Flautista de técnica apurada, instrumento que toca desde os seis anos, tendo início com flauta doce e aos nove expandindo para a flauta transversal e o píccolo. Passeia com muita desenvoltura por praticamente todas as linguagens musicais brasileiras, como o Choro, Samba, Bossa Nova, MPB, Ritmos nordestinos, além da música erudita, que estudou por seis anos na Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP -TOM JOBIM.

Em 2018, através de uma bolsa de estudos oferecida pela Emesp, embarcou para a Holanda, para um curso no Conservatorium de Amsterdam, onde por três meses, desenvolveu um importante
aprendizado do Jazz. Paralelo ao trabalho de Flautista, é também um exímio pianista, com um extenso repertório, nacional e internacional, podendo desenvolver tanto um trabalho solo, ou em trio, com Contra-Baixo e Bateria.

Além do trabalho individual como pianista, Rafael Beck, tem um DUO de flauta e violão com o violonista Rafael Schimidt. No ano de 2019, fez uma participação no show de Hermeto Pascoal
no Blue Note Sp. No mesmo ano de 2019,  iniciou estudos na Faculdade de Música Souza Lima em São Paulo, onde vai poder aprimorar seus estudos de Jazz e música brasileira.

WELLINGTON DE SOUZA

Wellington de Souza passou pela Escola do Auditório e pela EMESP – Tom Jobim antes de ingressar na Faculdade Souza Lima e ser premiado pela Latin Grammy Cultural Foundation.
Desde 2014, quando iniciou seus estudos formais de música vem atuando em grupos de música popular e erudita e já acompanhou artistas de destaque nas duas áreas como Vincent David (FRA), Dori Caymmi,  Miguel Villafruela (CUB), Nailor Proveta, Hércules Gomes, Clube do Balanço, Fabiana Cozza,Teco Cardoso,  Mônica Salmaso, Douglas Braga, Ted Nash, Bebê Kremer, Bastien Baumet (FRA) etc. Participou da Orquestra Jovem Tom Jobim (onde gravou o cd “Orquestra Jovem Tom Jobim visita Moacir Santos”), Orquestra Furiosa do Auditório Ibirapuera, Ensemble de Saxofones de São Paulo, Banda Sinfônica de Taubaté; participou do Brasília Sax Fest (2015), Sax Fest Brasil (2016), Semana Seu Geraldo em Leme (2016), Festival de Inverno de Campos do Jordão  (2016 e 2018).

Atualmente faz parte da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo dirigida pela maestrina Mônica Giardini, Banda Aldeia dirigida por Nailor Proveta, Big Band Souza Lima dirigida por Daniel D’Alcântara e Jorginho Neto e da Banda Nova Malandragem, Big Band dedicada ao repertório de Samba Rock dos bailes de 60 e 70 da cidade de São Paulo.

Ganhadores da Bolsa de Estudos Grammy 2018:

ALVARO HUANCAHUARI

Nascido em Lima, Peru, em uma família numerosa onde o gosto pela música tradicional do Peru e da América Latina, sempre esteve presente. Embora tenha aprendido a tocar flauta e percussão no Ensino Fundamental  foi após os 18 anos de idade, que começou a estudar música mais seriamente na escola Jazz Jaus, e com professores particulares. À partir desse momento, a música tornou-se muito importante em sua vida, tendo o jazz e suas vertentes como foco em sua formação. Embora não tenha tido muitos recursos para uma boa educação musical, sempre teve curiosidade e vontade de procurar informações para se aperfeiçoar, e assistia aos workshops, master classes e concertos de grandes músicos. Teve a sorte de ter aulas e trocar informações com grandes músicos, tais como George Garzone, Sherman Irby, Ted Nash, Duncan Haynes, Danilo Perez, Cesar Lopez, Ricardo Cavalli, Humberto Amesquita, Jorge Roeder, Jason Hainsworth, Andy Hunter, Ruben Caban entre outros.

Em 2016 foi aceito na University of  North Texas, com bolsa de estudos da Fundação Cultural Latin Grammy. Em 2017, graças à uma bolsa de estudos, ingressou na prestigiada McNally Smith School of Music. Posteriormente, mudou-se para o Brasil onde, com auxílio da Fundação Cultural Latin Grammy, cursa o segundo ano de Bacharelado em Música na Faculdade Souza Lima sob orientação de Vitor Alcântara e Rodrigo Ursaia. “Estudar no Souza Lima é uma grande honra para mim, já que é umas das melhores escolas de música da América Latina. É também a realização de um sonho que sempre tive: fazer bacharelado em música em uma escola de alto nível. Cada vez fico mais apaixonado pela música, especialmente nossa música latino-americana. Não tenho dúvidas de que seja qual seja meu futuro, a Faculdade Souza Lima vai ser um fator muito importante em meu desenvolvimento como músico”.

ESTEFANE SANTOS

Estefane Santos, musicista, trompetista. iniciou os seus estudos em música aos 13 anos no projeto social “SECRETARIA DE EDUCAÇÃO” na cidade de  Guarulhos. Estudou após esse período trompete popular na instituição “Emesp Tom Jobim – SP”, onde estuda atualmente com o Professor Daniel D’Alcântara. Participou de festivais importantes de música pelo Brasil ao longo
de sua jornada musical como: Jazz Trumpet Festival Brasil – SP, tendo aulas com grandes trompetistas da história do jazz como: Byron Stripling, Thomas Gansch, Jon Faddis, Adam Rappa, Bob
Sheew, e o Festival Jazz na Fábrica.

Em 2018 ingressou no curso de bacharelado em música na instituição “Faculdade Souza Lima” onde foi contemplada com a bolsa “Latin GRAMMY Cultural Foundation”.

Já gravou com músicos de renome no cenário da música brasileira como “Daniel D’Alcântara”, e o grande saxofonista norte americano,Ted Nash entre outros. Em 2019 pela segunda vez foi contemplada com a bolsa “Latin GRAMMY Cultural Foundation”. Também em 2019, participou do programa Tucca, tocando na Sala São Paulo ao lado de Anat Cohen com a Big Band Jazzmins.
Membro dos grupos: Orquestra Jovem Tom Jobim e Jazzmins Big Band e trompetista da cantora Luedji Luna.

HERBERT LUCAS

Herbert Lucas, músico saxofonista tenor, alto e soprano/flautista e compositor, atualmente com 26 anos de idade se identifica como um pesquisador da música popular e improvisada através do seu instrumento. Formado em música pelo curso técnico da Escola do Auditório Ibirapuera, desenvolvendo o estudo da música erudita e brasileira com os músicos Nailor Proveta e Douglas Braga.
Estudou também na EMESP Tom Jobim, onde foi integrante da Orquestra Jovem Tom Jobim  por três anos seguidos,  gravando o segundo CD da orquestra:  “visita a Moacir Santos” com grandes
nomes do cenário nacional e internacional jazzístico como o saxofonista “Ted Nesh”  e o trompetista “Daniel D’Alcântara”. Sempre atuando com ênfase no cenário instrumental, mais especificamente em big bands, foi a New York com a “Big Band Tom Jobim” na “Julliard Of School Music” tocando e aprendendo com grandes músicos Jazzistas americanos.

Foi ganhador do prêmio “Talentos do Jazz Do Festival Savassi “ BH, em 2015 com o grupo “Mana Quinteto”. Foi premiado por 3 anos seguidos com a bolsa “Talentos” da fundação “Latim GRAMMY” de Miami – USA.

Hoje cursa o curso de bacharelado em música na Faculdade Souza Lima no 6º semestre com aulas do saxofonista Vitor Alcântara. É integrante da Big Band Souza Lima sob direção dos músicos Daniel D’Alcântara e Jorge Neto. Como solista, desenvolve seu trabalho composicional como exemplo sua música: “África Five”.

WELLINGTON DE SOUZA

Wellington de Souza passou pela Escola do Auditório e pela EMESP – Tom Jobim antes de ingressar na Faculdade Souza Lima e ser premiado pela Latin Grammy Cultural Foundation.
Desde 2014, quando iniciou seus estudos formais de música vem atuando em grupos de música popular e erudita e já acompanhou artistas de destaque nas duas áreas como Vincent David (FRA), Dori Caymmi,  Miguel Villafruela (CUB), Nailor Proveta, Hércules Gomes, Clube do Balanço, Fabiana Cozza,Teco Cardoso,  Mônica Salmaso, Douglas Braga, Ted Nash, Bebê Kremer, Bastien Baumet (FRA) etc. Participou da Orquestra Jovem Tom Jobim (onde gravou o cd “Orquestra Jovem Tom Jobim visita Moacir Santos”), Orquestra Furiosa do Auditório Ibirapuera, Ensemble de Saxofones de São Paulo, Banda Sinfônica de Taubaté; participou do Brasília Sax Fest (2015), Sax Fest Brasil (2016), Semana Seu Geraldo em Leme (2016), Festival de Inverno de Campos do Jordão  (2016 e 2018).

Atualmente faz parte da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo dirigida pela maestrina Mônica Giardini, Banda Aldeia dirigida por Nailor Proveta, Big Band Souza Lima dirigida por Daniel D’Alcântara e Jorginho Neto e da Banda Nova Malandragem, Big Band dedicada ao repertório de Samba Rock dos bailes de 60 e 70 da cidade de São Paulo.

GUSTAVO BENEDETTI

Sou aluno do Souza Lima há quase seis anos, passando pelo conservatório e pela faculdade. Agora que estou finalizando o curso, pude ganhar a bolsa do Latin Grammy, o que serviu como
uma conquista final de reconhecimentos que aqui tive. Além de ter representado o Brasil ano passado no IASJ, hoje estou tocando com alguns dos maiores nomes da música de São Paulo, sendo alguns deles os professores da faculdade. Esses que, junto a mim, sempre me colocaram na posição de alcançar tais possibilidades, e acreditaram e acreditam no potencial dos músicos que realmente querem ser relevantes no cenário e na vida.

 

Ganhadores da Bolsa de Estudos Grammy 2017:

CAMILA RONZA

Cantora de jazz e música brasileira. Recém formada na Faculdade Souza Lima, bacharel em Canto Popular com a professora Andréa dos Guimarães e Cyndi Borgani e anteriormente, no Conservatório com o professor Rafael Dantas especializado em técnica para musical.

Fez aulas com o preparador vocal Wagner Barbosa, Isabeh, Lenine Santos e com a fonoaudióloga Silvia Pinho. Atualmente é integrante do Coral Jovem do Estado de São Paulo, integrante do grupo vocal e de percussão corporal da cantora moçambicana Lenna Bahule. Faz aulas de canto com Joana Mariz, Doutora em performance vocal pelo Instituto de Artes da Unesp, e aulas de improvisação com o pianista do Hermeto Pascoal, André Marques.

Em janeiro de 2017 recebeu o certificado do 5 o módulo da oficina de música corporal dirigida e desenvolvida pelo fundador e diretor musical do grupo Barbatuques, Fernando Barba. Em outubro de 2016 participou da turnê com o tenor italiano, Andrea Boccelli em São Paulo, Aparecida e Curitiba junto ao Coral Jovem do Estado. Em outubro de 2016 e durante o ano de 2017 participou dos shows como integrante do grupo vocal Nômade, dirigido pela cantora e compositora Lenna Bahule, no Sesc Santo Amaro, Belenzinho, Pinheiros e outros. Em novembro de 2016, também com o Coral Jovem do Estado participou da turnê do Festival Sesc de Música de Câmara em São Paulo, Santos e Sorocaba junto com a cantora e harpista suíça, Arinna Savall. Em 2015 participou da obra Carmina Burana de Carl Orff na Sala São Paulo junto ao Coral Jovem do Estado. Foi convidada a participar do festival IASJ na Cidade do Cabo na África do Sul dirigido pelo saxofonista David Liebman. Também participou do festival Painel instrumental em Tatuí tendo aulas de improvisação para cantores com o professor André Marques, pianista. Ambos em 2014. Fez aulas de interpretação de palco com o Professor Rafael Dantas em 2012 e se formou no Coro Juvenil da OSESP em 2013.

DANIEL TENES DE OLIVEIRA

Aos quatro meses de idade, Daniel já parecia saber do que gostava, assistia shows na maior parte do tempo que estava acordado. Aos oito meses de idade, pegava as baquetas da forma correta (com as pontas para cima) e com um ano de idade ganhou sua primeira bateria, desde então seu interesse foi aumentando a cada dia. Aos 2 anos de idade, apresentou-se acompanhado do seu pai (Quinzinho Oliveira – trompetista) para uma platéia de 2000 pessoas, a partir desse evento, foi chamado para apresentar-se em várias emissoras da televisão brasileira.

Começou efetivamente os estudos de bateria aos 4 anos de idade, na Free Music Escola Livre de Música, escola de seus pais. Ao completar 5 anos fez sua primeira gravação em estúdio, gravou uma música composta por seu pai, no Cd Vitoria (intitulada Vitoria). Aos 11 anos de idade, entrou para EMESP (Escola Municipal do Estado de São Paulo Tom Jobin), passando em primeiro lugar em uma concorrência de 400 inscritos, teve aula com o professor José Carlos (Baterista e percussionista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo).

Desde 13 anos, estuda com a professora Lilian Carmona (importante baterista do cenário brasileiro), professora conceituada, formada pela Berklee College of Music. Em 2015 ingressou seus estudos no Conservatório Souza Lima , fazendo aulas praticas, teóricas e práticas de conjunto.

Trabalhos:
. Gravou o Cd Expressão com seu pai Quinzinho Oliveira;
. Gravou o Cd e DVD Caminhos (MPB) de Vitoria Silvestre, uma produção de Quinzinho Oliveira;
. Atualmente faz parte de uma banda de música instrumental, juntamente com seu pai Quinzinho Oliveira e seu irmão Gustavo Tenes de Oliveira, apresentam-se em shows e bares de SãoPaulo, entre eles o Jazzb, bar que tem um importante papel no cenário do Jazz Brasileiro;
. Professor de bateria na Free Music Escola Livre de Musica.

GUSTAVO MIORIM

Nasci em Sorocaba e cresci em Mairinque, interior de SP, onde tive meus primeiros contatos com a música, através da igreja que minha família frequentava. Aos 8 anos me tornei baterista da mesma. Sem muitos recursos e sem acesso à educação musical, iniciei no meu instrumento como autodidata, mas sempre sonhei em estudar e seguir a carreira como músico profissional. Trabalhei em inúmeros lugares, de garçom a inspetor de escola, para bancar os meus estudos, e entrar para a Faculdade Souza Lima foi o grande marco para uma fase de muitas realizações, dentre elas a honra do reconhecimento de ser um dos bolsistas do Latin Grammy. O contato com alguns dos maiores músicos do país e a atmosfera musical que vivo são o grande combustível e a grande inspiração para seguir nos estudos mantendo o foco e o objetivo.

HERBERT LUCAS

Herbert Lucas, músico saxofonista tenor, alto e soprano/flautista e compositor, atualmente com 26 anos de idade se identifica como um pesquisador da música popular e improvisada através do seu instrumento. Formado em música pelo curso técnico da Escola do Auditório Ibirapuera, desenvolvendo o estudo da música erudita e brasileira com os músicos Nailor Proveta e Douglas Braga.
Estudou também na EMESP Tom Jobim, onde foi integrante da Orquestra Jovem Tom Jobim  por três anos seguidos,  gravando o segundo CD da orquestra:  “visita a Moacir Santos” com grandes
nomes do cenário nacional e internacional jazzístico como o saxofonista “Ted Nesh”  e o trompetista “Daniel D’Alcântara”. Sempre atuando com ênfase no cenário instrumental, mais especificamente em big bands, foi a New York com a “Big Band Tom Jobim” na “Julliard Of School Music” tocando e aprendendo com grandes músicos Jazzistas americanos.

Foi ganhador do prêmio “Talentos do Jazz Do Festival Savassi “ BH, em 2015 com o grupo “Mana Quinteto”. Foi premiado por 3 anos seguidos com a bolsa “Talentos” da fundação “Latim GRAMMY” de Miami – USA.

Hoje cursa o curso de bacharelado em música na Faculdade Souza Lima no 6º semestre com aulas do saxofonista Vitor Alcântara. É integrante da Big Band Souza Lima sob direção dos músicos Daniel D’Alcântara e Jorge Neto. Como solista, desenvolve seu trabalho composicional como exemplo sua música: “África Five”.

 

Ganhadores da Bolsa de Estudos Grammy 2016:

BRENO FERRARI ROCHA

Ingressar na faculdade Souza Lima foi um divisor de águas na minha vida. Tive a indicação de um grande músico e professor, chamado Rodrigo Salgado, que me direcionou aos estudos do Jazz
e da música brasileira. Foi na faculdade que comecei a ter oportunidades como músico, bem como a oportunidade de conhecer instrumentistas que fazem parte da história da música brasileira e mundial. Venho de Brasília e posso dizer que a minha mudança para São Paulo a fim de estudar na faculdade Souza Lima apenas ampliou meus horizontes, no que se diz respeito a conhecer
musicistas e viver no cenário musical mais interessante do Brasil. A bolsa de estudos do Latin Grammy acabou sendo uma consequência de tudo que tenho vivenciado. Fiz grandes amigos e com essas amizades veio muita motivação e esforço. Aqui, encontrei inspiração e pessoas com as quais posso trocar ideias musicais e de vida.

CÉSAR AUGUSTO ARANGUIBEL MOLANO

Nascido na Venezuela, em uma família onde a arte sempre esteve presente no dia a dia,  comecei meus estudos musicais no violino, aos 7 anos de idade. À partir desse momento me encantei com a
música e fui migrando para outros instrumentos até chegar no piano, passando por sax, bateria e baixo. Me mudei para o Brasil em agosto de 2008, onde comecei a fazer o curso livre do Souza Lima Alphaville, mas só em 2014 entrei na Faculdade Souza Lima Jardins. Em 2012 fui aceito no departamento de World Music na Faculdade Codarts de Rotterdã, Holanda, onde tive um influência gigantesca da música turca, flamenca e tango argentino. Tive também a oportunidade de cursar um semestre de piano erudito no Conservatório de Tatuí.

OSCAR ANDRES QUILCA BARCELLI

Iniciar meus estudos no Souza Lima foi um sonho realizado. Nos dois anos que eu estive lá, aprendi muito sobre a música e a vida. Eu tive a oportunidade de estudar com incríveis professores que me ensinaram praticamente tudo o que eu sei até agora e sou muito grato por isso. Além disso, eu conheci alunos que são incríveis músicos com muita humildade e que também me ajudaram bastante no meu desenvolvimento como músico. Com todo o aprendizado no Souza Lima eu consegui uma bolsa para estudar na Berklee College Of Music e também outra bolsa outorgada pela Fundação Cultural Latin Grammy. Eu estou agradecido com todos os que me ajudaram a conseguir aquilo, especialmente a minha família e ao Prof. Carlos Ezequiel, que foi meu professor de bateria esses dois anos e me ensinou a ser disciplinado com tudo o que faça na minha vida.

GERMAN SCHEUFLER

Sou um baixista mexicano que se disfarça de brasileiro, tenho 23 anos e comecei formalmente meus estudos no Souza Lima há 3 anos atrás. Cheguei com muito amor pela música, mas perdido em
como estudá-la, em gêneros como Jazz e música brasileira. Em 2 anos com a paciência e dedicação de professores incríveis e colegas maravilhosos, consegui aplicar para a Berklee College of
Music, onde ganhei uma bolsa de estudos. Após um semestre na Berklee apliquei para a bolsa Latin Grammy e consegui uma grande ajuda econômica por parte deles. Agradeço de coração aos
professores que me viram tocar bossa nova que nem rock e não desistiram de me ensinar, à alunos extremadamente talentosos que me deram dicas de como melhorar, à secretaria que sempre
estava lá para mim com um sorriso, e ao Latin Grammy por confiar em mim e ajudar a pagar meus estudos! Nunca desistam dos seus sonhos ainda que você os veja inalcançáveis, o amor pela sua
paixão te levará até onde você deixar!

GUSTAVO BENEDETTI

Sou aluno do Souza Lima há quase seis anos, passando pelo conservatório e pela faculdade. Agora que estou finalizando o curso, pude ganhar a bolsa do Latin Grammy, o que serviu como
uma conquista final de reconhecimentos que aqui tive. Além de ter representado o Brasil ano passado no IASJ, hoje estou tocando com alguns dos maiores nomes da música de São Paulo, sendo alguns deles os professores da faculdade. Esses que, junto a mim, sempre me colocaram na posição de alcançar tais possibilidades, e acreditaram e acreditam no potencial dos músicos que realmente querem ser relevantes no cenário e na vida.

 

Ganhadores da Bolsa de Estudos Grammy 2015:

Em comemoração ao 15º Aniversário do Grammy, foi criada a Fundação Cultural Grammy com objetivo de fomentar a música latina, através da concessão de prêmios em três áreas que, resumidamente, são: 1- bolsas de estudos a músicos latinos, 2-ajudar no financiamento de pesquisa na área de música latina e 3-ajuda financeira a instituições musicais carentes. Em 2015, houve o processo seletivo, onde foram oferecidas vinte bolsas de estudos a alunos de música da America Latina, destas, sete foram conquistadas pelos alunos da Faculdade de Música Souza Lima Ensino de Música, sendo eles: Mauro Oliveira, aluno de saxofone, Rodolfo Guilherme, trompete, Rafael Abdala, baixo, Renato Alves, guitarra, Diego Pereira, bateria, Mirella Costa, canto e Joabe
Reis, trombone. Foram seis bolsas no valor de 10 mil dólares cada e uma bolsa especial para Mirella Costa (canto) estudar na Berklee, no valor de 25 mil dólares. “A Fundação paga o curso de música diretamente à instituição e pode ser renovada anualmente”, explica o Presidente do Souza Lima Ensino de Música, Antonio Mario Cunha. “A ideia agora é formar a banda SL Grammy Latino, fazer alguns shows e os alunos serão embaixadores do Grammy e do Souza Lima”, diz Antonio Mario. Além disso, este projeto será levado às escolas do CLAEM com o objetivo de beneficiar mais alunos da America Latina.

Agora,  anualmente todos os alunos da Faculdade de Música Souza Lima serão convidados a aplicar no projeto. O fato da instituição já ser reconhecida nacional e internacionalmente por sua excelência em educação musical e o talento dos músicos brasileiros, dá aos alunos ótimas chances de se beneficiar das Bolsas de Estudo oferecidas pela Fundação  Cultural Grammy. A nova parceira com a Associação de Ensino Superior de Música que oferta, há mais de dez anos, bolsas de estudo parciais e integrais para músicos talentosos brasileiros e latinos na Faculdade Souza Lima, este projeto será com certeza um sucesso. “Aproveitem essa oportunidade muito importante para o crescimento musical e cultural dos estudantes brasileiros e latinos”, finaliza Antônio Mário.

Depoimento dos alunos

“Desde quando eu terminei meus estudos na EMESP, comecei a pesquisar qual seria a melhor escolha para o curso de Música Popular – Bacharelado em Saxofone. Como todos sabem, a
experiência prática na música conta muito e isso foi levado em consideração na minha escolha pela Faculdade Souza Lima. O corpo docente da escola tem os melhores professores. A minha
gratidão com a Faculdade começa por ser um dos alunos bolsistas e, agora, como vencedor da Bolsa Grammy isso só aumenta. Agradeço a todos os professores pelo conhecimento
compartilhado, em especial a Vitor Alcântara, meu professor de saxofone, e ao Lupa Santiago o Coordenador do Curso.” Mauro Oliveira, saxofonista.

“Quando escolhi cursar a Faculdade Souza Lima, estudei ainda com mais vigor, pois precisava ganhar uma bolsa de estudos para ter condições de me matricular. E assim se fez… Conquistei uma bolsa que me possibilitava pagar parte da mensalidade do curso. Ser premiado com a bolsa de estudos do Latin GRAMMY Cultural Foundation, foi uma surpresa e um presente indescritível. Presente este que me dará  a possibilidade de continuar a caminhada dos estudos nesta instituição que me identifiquei tanto. Aqui, no Souza Lima, estou em contato e estudando com parte dos melhores músicos/instrumentistas que nosso Brasil possui.  E isso aumenta muito a possibilidade de maior aprendizado e estar dentre esse músicos ¨ativos¨ no mercado de trabalho e no cenário
musical. Tenho certeza que muitas pessoas gostariam de ter ganho uma bolsa como esta, inclusive eu… Assim, por tamanha honra em ter sido premiado, me comprometo sempre mais e mais me
dedicar aos estudos e à música.” Rodolfo Guilherme, trompetista.

“Sou contrabaixista e compositor, natural de Três Lagoas-Ms. Uma cidade no interior do país, onde a informação didática-musical era muito escassa. Há 14 anos, me mudei em busca de conhecimento e formação musical. Há seis anos em São Paulo, trabalho constantemente como free lance e em grupos de música instrumental, bem como com meu trabalho instrumental. Quando resolvi buscar uma graduação em música, o primeiro nome que me veio foi o Souza Lima, onde onde curso atualmente o quarto semestre como aluno bolsista (bolsa músico). A escolha por esta
instituição deu-se pelo fato de que no quadro docente encontramos grandes professores e  músicos atuantes no cenário paulistano, nacional e internacional.” Rafael Abdala, contrabaixista.

“Entrei na Faculdade Souza Lima no ano de 2014 por indicação de dois grandes músicos e amigos, Paulinho Alves e Glécio Nascimento. Eu fiz o teste e consegui uma bolsa de estudos que foi
suficiente para dar início aos meus estudos acadêmicos. Nesse ano fiz as práticas de banda dos professores André Marques, Nenê e Daniel D’Alcântara e foi muito satisfatório, tanto quanto as aulas teóricas, pude rever muita coisa que havia estudado por outra perspectiva e agora com mais propriedade, sendo bolsista pude participar da big band da faculdade, também realizei alguns
trabalhos e eventos pela instituição. A bolsa Grammy veio na hora certa, depois de um ano de muito estudo e dedicação à música e ao instrumento, foi muito bom para saber que realmente vale a
pena dedicar a vida aos estudos e ao aprendizado, o universo responde a favor e assim podemos colher o fruto do que plantamos.” Renato Alves, guitarrista.

“Sou baterista nascido em Guaratinguetá – SP, tenho 26 anos, e estudei bateria um ano e meio no Conservatório de Tatuí, quando então decidi procurar um ensino superior para carreira
acadêmica. Desde que iniciei meus estudos na Faculdade Souza Lima, no programa de alunos bolsistas, meu foco sempre foi o estudo e desenvolvimento da música como ciência. A partir da
convivência com grandes mestres que fazem parte do corpo docente da Faculdade Souza Lima, pude ter experiências musicais maravilhosas, integrar o Trio Choro Moderno, com o professor Pedro
Ramos e o violonista Paulo Ramos, além de ter feito duas viagens para a Europa representando o Brasil. Com essa conquista adquirida pela meu esforço e seriedade com a música, vou
conseguir me dedicar integralmente aos estudos formais e planejar a continuidade da minha formação. A bolsa da Fundação Latin Grammy é sem dúvida um marco na minha carreira
acadêmica.” Diego Pereira, baterista.

“Sou cantora, pernambucana. Eu sou muito feliz por saber que Deus colocou em mim o tesouro da música e que a medida que eu sonho Ele realiza. Foi assim desde o dia q sonhei em vir para o Souza Lima. Estar no Souza como bolsista e ter sido introduzida a música  brasileira e ao Jazz, ter estudado e conhecido pessoas maravilhosas, professores incríveis, amigos inesquecíveis, é impagável! Sou muito grata porque através  do Souza muitas portas foram abertas e pude aprender muita coisa e sonhar mais alto. No começo do ano, eu apliquei para a Berklee College of Music ganhei  uma bolsa para estudar lá e também fui contemplada com a Maior bolsa de estudos que o Grammy Latino deu esse ano para estudantes de música  da América  Latina e Espanha. Estou RADIANTE de felicidade de poder somar essas duas bolsas e ter bolsa integral para a Berklee. Isso me faz lembrar como é importante sonhar e ter .” Mirela Costa, cantora.

“Hoje mora em São Paulo-Brasil, cursa bacharelado em trombone pela Faculdade de Música Souza Lima & Berklee (SP), desde de 2013, quando ingressou na Faculdade sendo aprovado na primeira fase, através da prova que garante bolsas de estudos, que a Faculdade oferece antes do vestibular, posteriormente, foi aprovado também no vestibular da mesma. Nessa mesma instituição, foi instruído a presta a prova para o projeto de bolsas do Latin Grammy Cultural Foundation, associação na qual seleciona estudantes de música de grande destaque de diversos países, sendo um dos alunos aprovados. A Faculdade de Música Souza Lima é uma das instituições de ensino mais séria do país. Referencial para estudantes de música e profissionais da área que procuram aprimorar seus conhecimentos e buscam fazer o curso de graduação em música popular numa instituição, em que os professores, além de um auto conhecimento musical, atuam no
mercado em diversos lugares do país e exterior, e que ao longo dos anos vem preparando os seus alunos também para o mercado de trabalho, festivais e concursos por todo mundo, sempre com um grande índice de aprovações de seus alunos.” Joabe Reis, trombone.