bateria, percepção musical, harmonia e prática de bandas

CARLOS EZEQUIEL é baterista, compositor e produtor musical. Acompanha regularmente artistas de jazz do Brasil e da Europa, além de atuar em carreira solo.

Em Maceió, sua cidade natal, participou do Maceió Jazz Festival em 1995. No ano seguinte, conquistou uma bolsa de estudos para a Berklee College of Music, em Boston, EUA, onde concluiu um Bacharelado em 1999. Em 2014, concluiu Mestrado pela Universidade Federal da Bahia, por seu estudo sobre Polirritmia e Métricas Ímpares aplicadas aos Ritmos Brasileiros.

Em 2017 lançou o CD “Circular”. O disco se refere à polirritmia circular presente na música da África e suas ramificações no Brasil.. Em 2019, em parceria com Josué dos Santos, lançou “Aura”, um disco de improvisação livre (free jazz). Em 2020 está lançando seu novo disco em quinteto, “Circular II”, estendendo os conceitos do disco anterior.

De sua discografia, destacam-se também os CDs: “images” (2001, em parceria com Lupa Santiago) indicado ao Grammy Latino 2002; “Sinequanon” (2004), “Telescópio” (2006), e “Horizonte Artificial” (2008), com o grupo Sinequanon; e “Colagens” (2006), de Marcelo Coelho. Atualmente, Carlos integra os grupos do contrabaixista Sizão Machado, com quem tocou em festivais no Brasil e na Argentina, e do saxofonista Vítor Alcântara.

Tocou com o aclamado percussionista Airto Moreira de 2016 a 2019. Atuou como produtor musical e baterista em seu álbum “Aluê“, indicado ao Grammy Latino 2018. Com Airto, fez mais de 40 shows em turnês pelo Brasil e Europa em palcos como Ronnie Scott`s Jazz Club, Copenhagen Jazz Festival e WorldWide Festival.

Integrou também grupos de artistas europeus, como: o saxofonista finlandês Pekka Pylkkanen, com quem tocou em turnês pela Europa e Ásia,; o baixista irlandês Ronan Guilfoyle, com quem se apresentou na Europa, Índia e Brasil; e o Walbum & Maintz Brazilian Quintet, gravando o CD “Copenhagen São Paulo” e tocando em turnês na Dinamarca. Participou ainda de festivais como o Montreux Jazz Festival (Suíça), Schelde Jazz Festival (Holanda), Aarhus Jazz Festival (Dinamarca), Jazztage Festival (Alemanha) e Southern Soul Festival (Montenegro), e realizou workshops em países como Coreia do Sul, Finlândia, Irlanda, Suíça, França, Holanda, EUA, e vários países da América do Sul.

Em 2001, Carlos foi indicado como baterista ao Prêmio Visa de Melhor Instrumentista. Como produtor musical, ganhou o Prêmio da Música Brasileira com o disco “A Saga da Travessia” (Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz) em 2017.

É professor da Faculdade Souza Lima, em São Paulo, e autor dos livros “Interpretação Melódica para Bateria”, “Baião e Ritmos Nordestinos”, e “Música Brasileira em Métricas Ímpares”, lançados no exterior pela Ed. Advance Music e no Brasil pela Ed. Souza Lima.

www.carlosezequiel.com